29 de junho de 2014

Benfica-6 Beitar-0 de 1998




Download do video aqui.


Como tinha dito no último post, vamos avançar 8 anos em relação à final de 89/90 e caramba, como o Benfica muda! De um Benfica fortíssimo, campeão em título, com uma excelente equipa, com um excelente treinador, passado apenas 8 anos tinhamos um clube numa profunda crise, com um presidente polémico (para ser simpático), uma equipa de futebol de qualidade bastante menor (para ser simpático) e que já ia para o 5º ano sem ser campeão...
 
Mas para nós benfiquistas, o Benfica é sempre o Benfica. Nos tempos bons e nos tempos maus, é sempre o clube do nosso coração, e estamos lá tanto para apoiar o Valdo como para apoiar o Pringle...
 
Bom, mas falemos sobre o jogo...depois de uma temporada 97/98 que tinha começado de forma tão desastrosa que caiu presidente (Damásio) e treinador (Manuel José) logo à 4ª jornada, mas que depois acabou de forma entusiasmante com um futebol atractivo e de ataque a render um 2º lugar, havia altas expectativas para esta temporada.
 
E este 6-0 ao Beitar para a 1ª mão da pré-eliminatória da Liga dos Campeões (que se seguiu a um 4-0 à Lazio no jogo de apresentação aos sócios, não sei se estão recordados), mais aumentou a euforia tão típica dos benfiquistas, mas principalmente dos benfiquistas destes anos, tão sedentos de títulos e vitórias andavam...
 
Acabou por ser uma excelente vitória contra uma equipa de argumentos limitados, mas que garantiu que 4 anos depois o Benfica estaria de volta à principal competição de clubes na europa...
 
E se o campeonato 98/99 acabou por ser uma desilusão para o Benfica, a terminar de forma incrível com a brigada do reumático inglesa em força na equipa inicial (ainda hoje tenho pesadelos com Harkness, Gary Charles, Thomas e cia), a participação do Benfica na Liga dos Campeões deste ano acabou por ser honrosa e com alguns momentos entusiasmantes, como a vitória sobre o PSV Eindhoven de Bobby Robson, como se poderá ver no próximo video que colocarei...

7 Comentários:

Zé Maria disse...

Lembro-me bem dessa campanha europeia, que ainda hoje me está atravessada. Enfim, da qualidade da equipa já se falou muito, não adianta fingir que tínhamos condições para ir longe, mas a forma com as coisas decorreram deixou alguma frustração. Até porque contra PSV e Kaiserslautern (que eram equipas poderosas) fizemos 7 pontos, mas deitámos tudo a perder nos dois jogos contra um tal HJK(!!!), precisamente a única equipa do grupo que à partida seria "bater em mortos". Grande desilusão, tendo até em conta a horrível situação financeira do clube e como a passagem naquele grupo poderia ter dado uma ajuda preciosa.

Para mim ficou como a Champions League do "se".

- Se tivesse sido uns anos mais tarde, teríamos passado, pois ficámos em 2º lugar (na altura passava só o 1º).
- Se não tivéssemos sofrido aquele golo do HJK em casa perto do fim...
- Idem aspas a respeito do jogo fora com o PSV...

PS: Sobre este jogo com o Beitar, ficou claro que era uma equipa demasiado frágil. Ainda assim, embora já fosse a feijões, não nos livrámos de levar 4 batatas em Israel, o que só prova o quão frágil era o nosso plantel.

PPS: Referes que o próximo post será o jogo contra o PSV, o que me faz supor que vais saltar o encontro frente ao Kaiserslautern. Alguém me corrija se estiver errado, mas não foi nesse jogo que o Hugo Leal entrou em campo e que passados poucos minutos foi substituído? Deve ter ficado uns 20 minutos lá dentro, se tanto...

João Jordão disse...

Consegues disponibilizar link para download, Bakero? Tenho guardado todos os vídeos desde o regresso do blog ao activo e gostava de poder ficar com este também :)

Bakero disse...

Zé Maria: Sim, vou saltar o jogo da 2ª jornada com o Kaiserslautern. Tento sempre evitar colocar derrotas do Benfica :). Não faço ideia se o Hugo Leal jogou apenas 20 minutos nesse jogo, não me lembro disso...

João Jordão: Já pus o link, tinha-me esquecido ;)

Frederico disse...

Quando olho para este plantel dá vontade de chorar: por um lado tens um Nuno Gomes que fazia 30 golos por época, um João Pinto ainda em forma, Preud'homme na baliza, Poborsky a fazer a cabeça em água aos defesas contrários e por outro lado tínhamos Ronaldo, Minto, Sousa, Thomas, Pringle, Pembridge (que trazia "golos nas botas" segundo o próprio Souness)...

De facto não tínhamos plantel para fazer grande coisa na Champions desse ano mas com o grupo que tínhamos fica a amargura de termos perdido pontos justamente com a equipa mais fraca (HJK de Helsínquia).

No jogo com o PSV vamos ter a oportunidade de ver um tal de Van Nistelrooy a estragar-nos as contas do apuramento...

Abraços e parabéns pelo excelente blog!

Frederico disse...

P.S. O golo do Van Nistelrooy é no jogo da 2ª volta ;)

Zé Maria disse...

Isso dos golos nas botas acho que foi o Jupp Heynckes que disse a respeito do Tote (que era mil vezes pior que o Pembridge, por sinal)

Anónimo disse...

Obrigado pelo renascer deste blogue que sigo atentamente. É muito bom reviver grandes momentos, mesmo que, como é o caso deste, não tenha sido num período propriamente memorável da história do Glorioso.

Apenas uma pequena chamada de atenção. Na imagem do topo do blogue, lê-se "video", quando deveria ler-se "vídeo". ;)

Abraço e força para continuares com este espaço!